FALE CONOSCO: (67) 3409 1234

Copasul - Cooperativa Agrícola Sul MatoGrossense
Download NFe/XML Webmail

img_6788

Copasul realizou 1º Giro Técnico da Mandioca

29, Mar de 2019
Voltar

  No dia 26 de março, a Copasul realizou o primeiro Giro Técnico da Mandioca, em Naviraí. A iniciativa busca oferecer ao cooperado produtor de mandioca, mais informação técnica e troca de experiência sobre áreas cultivadas. Mais de 60 pessoas estiveram presentes, superando as expectativas da organização.

  A programação do evento iniciou com um café da manhã na sede da Cooperativa, e em seguida os participantes se deslocaram até a Fazenda Marajó, área do produtor Nelson Antonini, onde ouviram experiências aplicadas na área com safra 2018/2020; Depois foram até a área do Sr. Edno Nascimbeni, safra 2018/2020, onde discutiram a forma de manejo e cultivo que o produtor realiza. O almoço foi realizado na AREC (Associação Recreativa e Esportiva da Copasul) e a tarde se deslocaram até uma outra área do Sr Edno Nascimbeni safra 2017/2019, onde estava em andamento a colheita semi-mecanizada, que utiliza uma mesa de despenicação rotativa. O evento foi finalizado com uma palestra com o professor Mário Takasashi, da IAPAR, sobre Manejo do Material de Propagação da Mandioca. Os participantes também puderam degustar a tapioca Copasul e visitaram à Unidade industrial.

  O palestrante, pesquisador Mário, elogiou o formato do evento. "Pela primeira vez participo nesse formato de evento, onde fazemos a visitação nas áreas, e o próprio produtor pode dar o seu depoimento, e isso enriquece bastante o evento, porque são depoimentos da prática feita inloco, e a Copasul está de parabéns por esse formato de evento. Basicamente, em função da época em que estamos, abordou-se a questão do material de plantio, que é algo importante. Outro item que conversamos foi a produção de mudas. A rama de mandioca, diferente dos grãos, você não encontra para comprar. O ideal era que cada produtor tivesse uma área de viveiro, para ter maior controle de pragas e doenças e obter uma muda de melhor qualidade", disse o Pesquisador do IAPAR.

  Os participantes fizeram uma avaliação muito positiva do Giro. "Pra nós foi uma satisfação muito grande, mostrarmos um pouco do que nós sabemos sobre mandioca, já temos um bom tempo na atividade, mas estamos sempre aprendendo. No ano passado, adquirimos uma plataforma de espinicação, que é um esteira para facilitar o manuseio da mandioca. Antes era despenicado no balaio, e daí jogada no BAG, e com agora isso já é feito em cima da plataforma, e já embegado. Isso agiliza e melhora para o trabalhador, pois é menos esforço físico e há um ganho de tempo. Quem ainda não conhecia esse sistema, vai ver que isso facilitar o nosso dia a dia", disse o cooperado Edno Nascimbeni.

  "Por ser o primeiro Giro, foi muito bom, desde dicas e experiências da rama até a colheita foi muito positivo. E algumas dicas, que mesmo para produtores que estão há tempos na atividade, foram muito bem aceitas. A esteira, que vimos no Sr. Edno, ajuda muito, principalmente para o bem-estar do funcionário. E outro ponto positivo é a tapioca, que pudemos provar na fecularia, pois agrega valor ao produto do cooperado", comentou o cooperado Alexandre Palharini.